A afasia do genocínico

Foto: Sergio Lima / AFP

Não há como fazer psicanálise do genocida, genocínico. Mas, pode-se se fazer uma psicopatologia desse farsante. Há que desmascarar a sua incapacidade de produzir discursos. Ele tem um distúrbio na fala. Ele tem uma dificuldade de nomear as coisas, não consegue propor nada, é um sujeito a/gramatical. Há uma decadência fônica e léxica. Não há pensamento político. E a rede Globo faz coro com esse obscurantista. Ela não é contra esse vende-pátria.  Este é o tema do comentário de Gilberto Felisberto Vasconcellos, veiculado no programa Campo de Peixe, da  Rádio Campeche, conduzido pela jornalista Elaine Tavares. (07.05.22)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *