Greve Geral – É preciso ocupar as ruas!

Vereador Afrânio Boppré em entrevista a Rádio Campeche analisa a conjuntura nacional e a decisão do Governo Federal de repassar aos mais pobres as ‘consequências’ provocadas pela crise econômica.

Na conversa ele também avalia os trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito do Transporte Coletivo. O Secretário de Transportes de Florianópolis, Marcelo Roberto da Silva, prestou depoimento na CPI na última quinta-feira (04/04). Durante mais de duas horas, o secretário manteve-se na defensiva.

Ele afirmou “não recordar”, mas comprometeu-se a repassar os dados de maneira detalhada. Apesar disso, Silva afirmou que o sistema arrecada quase R$ 20 milhões mensais, sendo R$ 15 mi em tarifas e R$ 4,5 mi em subsídios da Prefeitura de Florianópolis.

Em outra sessão da CPI, membros do Conselho Municipal de Mobilidade Urbana (Conmurb) admitiram que não sabiam como era feito o cálculo tarifário. Eles também alegaram não ter conhecimento técnico suficiente para avaliar as planilhas de custos. Questionado sobre o fato, o secretário limitou-se a afirmar que a lei permitia que os conselheiros votassem os aumentos.

O secretário também foi questionado sobre a alteração na composição do Conselho, que ele considerou “normal”, assim como sobre a data de 27 de dezembro, entre o Natal e Ano Novo, para reunir o colegiado.

A CPI investiga o processo licitatório que concedeu a exploração do serviço ao Consórcio Fênix até 2034. O colegiado também apura os aumentos nas tarifas de ônibus.

Confira a entrevista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *