Fique sócio da Rádio Campeche

Arte: Luciano Teixeira
A Rádio Comunitária Campeche nasceu em 1998 como proposta coletiva e generosa de expressão da voz do bairro, fruto das inúmeras lutas que se travavam no Campeche. Uma delas era a discussão do Plano Diretor, matéria na qual o bairro foi pioneiro. Também havia luta pela limpeza, pelo esgoto, contra a especulação imobiliária, pela proteção da praia e pela manutenção da ideia de um bairro-jardim, sem prédios altos ou condomínios.
 
Esse amálgama de lutas precisava de um espaço para se comunicar com o bairro. Havia um jornal, mas era preciso ampliar. Então veio do jornalista Lúcio Haeser, morador do bairro, a ideia de criar uma rádio comunitária, que logo seria abraçada pelos movimentos. Foi assim que depois de algumas reuniões com Amocam e outras entidades surgiu essa rádio e já em 1998 aconteceu a primeira transmissão, ainda ilegal, desde a casa do Lúcio. Depois, veio a batalha pela legalização que durou anos, mas sem que a comunidade deixasse de manter viva a rádio, funcionado e transmitindo.
 
Por conta de uma parceria com o Sindicato dos Eletricitários que cedeu um terreno, a sede da rádio começou a brotar. E nasceu assim esse espaço que hoje temos, do braço e da vontade das pessoas do bairro que se uniram em mutirões. Muitas mãos e muitos sonhos ergueram o pequeno prédio que até hoje abriga a rádio. Foi aí que ela passou a transmitir 24 horas, com música e algumas intervenções esporádicas, quando necessário informar as gentes.
 
Foi em 2006 que apareceu o primeiro programa ao vivo, o “Campo de Peixe”, no ar até hoje. Desde aí vieram muitos outros programas e a rádio vem sendo um importante instrumento da luta comunitária e da soberania comunicacional. Ligada nas coisas do bairro, a rádio está comprometida com a informação comunitária, sempre articulada com a realidade municipal, estadual e mundial.
 
Nesses 20 anos da existência da rádio, o bairro mudou. O Campeche hoje está cheio de condomínios e prédios, com milhares de novos moradores. Ainda preserva seus focos de luta e foi bonita a batalha travada no Plano Diretor Participativo. A comunidade viva do Campeche se mexe e luta. Pela praia, pelo esgoto, pela cultura.
 
E é para garantir que a rádio siga sendo esse espaço de expressão da voz da comunidade que precisamos da ajuda de todos os moradores, do bairro e dos arredores. Nossa sobrevivência vem da anuidade dos sócios e de alguns apoios culturais. Nossas despesas são pequenas, mas mensais e sistemáticas. Por isso estamos fazendo essa campanha para garantir novos sócios. Venha conhecer a rádio e associar-se. A anuidade é pequena: apenas 50 reais. Mas ainda assim, é o que garante que a gente siga com o trabalho de informação e com a música de qualidade, sempre dando prioridade aos artistas locais.
 
Tu que é sócio, mas ainda não pagou a anuidade, faça isso agora. E quem não é sócio ainda, associe-se à Rádio Campeche e garanta nossa soberania na informação.
 
Contamos com vocês.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *