Terça-feira começa o FAM

Neste domingo a partir das 10:00 Valdeci Reis estará comandando um programa especial sobre o FAM 2017. O 21º Florianópolis Audiovisual Mercosul será realizado de 20 a 25 de junho, em Florianópolis, no Centro de Cultura e Eventos da UFSC,  firmando o seu papel de aproximar público, profissionais, filmes e mercado –  o  ciclo completo do setor audiovisual. Fórum, Palestras, Oficinas, Rally Universitário, Lançamento de Livro, Mostra Paralela de Música  e o recordista de público Festival, este ano com uma mostra competitiva a mais, Mostra Videoclipe, além da  Doc-FAM, Mostra Curtas Mercosul, Curtas Catarinense e Infanto-juvenil.

Participarão do programa debatendo as novidades da edição 2017 Adriana Rio Professora da FAED/UDESC, Marianela Laura Quisbert, Professora da Colômbia; Maria Lucila, Professora do Ceart; Fernanda Lino, Professora da Rede Municipal; Elaine Tavares e Denise Naccari, Produtora do FAM 2017

Sem teor de competição o FAM  também apresenta a Mostra de Longas Mercosul que este ano está composta de seis filmes  sempre com início às 20h. Na noite de abertura do FAM 2017, na terça-feira, dia 20, a estreia de Anuaê, documentário do diretor catarinense Zeca Pires. Viabilizado com recursos do Prêmio Catarinense de Cinema, Anauê aborda o nazismo e o integralismo na região de Blumenau no período da Segunda Guerra Mundial, a partir de entrevistas com acadêmicos e descendentes de alemães. Trata de questões como envolvimento dos locais com o nazismo e o integralismo, a forma com que o holocausto dos judeus era visto na região, a “nacionalização” e a relação entre alemães e brasileiros. Santa Catarina teve uma das primeiras seções do Partido Nazista no Brasil. A palavra anauê do título era uma saudação entre os integralistas brasileiros que em tupi significa “você é meu irmão”.

A ficção Mulher do Pai, de Cristiane Oliveira, será exibida no dia 21, é ambientada na região de Dom Pedrito-RS, fronteira com o Uruguai. Trata do relacionamento entre Nalu (Maria Galant), uma menina de 16 anos, e seu pai cego Ruben (Marat Descartes), por quem ela fica responsável após a morte da avó. Os dois vivem um relacionamento distante até a chegada de uma professora uruguaia (a atriz Verónica Perrota, a mesma do filme Las Toninas Van al Este). Este é o primeiro longa-metragem da diretora gaúcha, que foi selecionado para a mostra Generation do 67º Festival de Berlim.

No dia 22 será exibido o filme Corralón, do argentino Eduardo Pinto.  Filmado em Moreno, subúrbio de Buenos Aires onde nasceu o diretor conta a história de dois grandes amigos, Juan e Ismael, interpretados por Luciano Cáceres e Pablo Pinto, respectivamente, que trabalham em um galpão de material de construção. Enquanto entregam cimento, areia e ladrilhos em casas de ricos e pobres da região, eles compartilham das asperezas do trabalho, de sonhos não realizados e do álcool. Um dia, topam com um cliente diferente, que os trata com humilhação, desencadeando uma série de acontecimentos que tornaram Corralón uma das grandes surpresas do cinema argentino em 2017. Segundo Eduardo Pinto, realizador também de Caño Dorado (2009) e Buen Día, Día (2010), o filme é uma metáfora da sociedade atual: “Corralón é o perímetro que cerca cada homem”, diz.

Primeiro longa dirigido pelo ator peruano Salvador del Solar, protagonista de Pantaleón e as Visitadoras (2000), baseado na obra de Mario Vargas Llosa, A Passageira traz à frente do elenco um ator conhecido do público do FAM no ano passado. O mexicano Damián Alcázar, que viveu o violonista Agustín Barrios no filme paraguaio “Mangoré, por amor al arte”, agora interpreta o motorista de táxi Magallanes, cujo passado sombrio como soldado do exército peruano volta à tona quando entra em seu carro Celina (a atriz de origem indígena Magaly Solier), que ele conheceu há 25 anos e que agora é dona de um salão de beleza na periferia de Lima. A Passageira, que recebeu o prêmio especial do júri do Festival de Havana e foi escolhido Melhor Filme no Festival de Huelva, na Espanha, será exibido no dia 23.

Vencedor do prêmio de Melhor Filme Iberoamericano do Festival de Guadalajara, Oscuro Animal, primeiro longa do diretor colombiano Felipe Guerrero, será exibido no sábado, dia 24. O filme mostra a difícil situação de três mulheres – Rocío (Marleyda Soto), La Mona (Jocelyn Meneses) e Nelsa (Luisa Vides) –, vítimas da violência da guerra civil e do narcotráfico, que precisam deixar suas casas e fugir pela floresta, cada uma seguindo o seu caminho, para chegar a Bogotá e tentar começar uma nova vida. Três mulheres pacíficas, subjugadas por um estado de terror permanente, que se veem obrigadas até mesmo a usar da violência que as apavora para sobreviver.

Para encerrar o FAM 2017 a comédia Las Toninas Van al Este, de Verónica Perrotta e Gonzalo Delgado, fala sobre o encontro, no balneário de Punta del Este, entre pai e filha que não se viam há anos. O pai, gay e conhecido no meio artístico como “O Gordo”, a princípio rejeita a visita da filha Virgínia, mas se comove ao saber que ela está grávida.  O filme está percorrendo diversos festivais pelo mundo.

Para saber todas as novidades do FAM 2017 acompanhe o programa especial domingo (18/06/2017) a partir das 10:00 pelas ondas da 98,3 Campeche FM.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *